III Festival de Contação De Histórias no CCBB-RJ

No próximo fim de semana acontece a terceira edição do Festival de Contação de Histórias do CCBB Rio. O evento apresenta 14 espetáculos gratuitos com histórias de várias partes do mundo, contadas de formas diversas: com música, tapetes, bonecos, adereços e muita criatividade.

A distribuição de senhas acontece 30 minutos antes das atividades.


III Festival de Contação de Histórias


PROGRAMAÇÃO

Uma história puxa outra
Lúcia Fidalgo
Sábado, 11 de janeiro às 11h

Uma mulher que reclama da vida é intimada por seu marido a viver de bem com o mundo, que lhe apresenta o corcunda, bobo da corte do sultão, que com todas as suas dificuldades vive a sorrir e a encantar a todos. Em outro reino, um rei horroroso de barba de ouro se casa com uma bela donzela que precisa sanar as dívidas do pai. No entanto, o rei devora a todos os seus filhos, forçando à donzela a esconder sua linda filha em uma aldeia para ser criada por camponeses. Na última história, vamos ver como um casal de velhinhos solitário que modela um filho para criarem.


O fio e a velha
Marcela Carvalho
Sábado, 11 de janeiro às 12h

A velha a fiar, uma cantiga do folclore mineiro. As Três Velhas, um conto popular do Brasil registrado por Câmara Cascudo. As Moiras, um mito grego. O que essas histórias têm em comum? As três histórias tratam da fiação. Fio do trabalho, fio da vida.


Como ouvir os clássicos
Grupo Mosaicos
Sábado, 11 de janeiro às 14h

Nesta sessão serão apresentados contos de fada do universo dos Irmãos Grimm, do autor Hans Christian Andersen e outros contos populares europeus. Formada por diversas histórias que nos levam para um universo fantástico, onde podemos nos deparar com gigantes, bruxas e outras criaturas mágicas, essa sessão diverte e encanta crianças de todas as idades.


Princesas, luas e estrelas
Ilana Pogrebinschi
Sábado, 11 de janeiro às 15h

O que você faria se sua filha adoentada te pedisse a lua para ficar boa? Ou o que você diria se ela quisesse construir uma fonte para ouvir o cantar das estrelas do céu? Esses são os desejos de duas princesas. Venha conhecer essas histórias apresentadas com fantoches e embaladas por músicas tradicionais brasileiras tocadas no violão e na flauta transversa.


A peleja do violeiro Magrilim com a formosa princesa Jezebel – uma aventura no tapete, em versos de cordel.
Grupo Costurando Histórias
Sábado, 11 de janeiro às 16h

Governado pelo cruel Percival, aquele reino guardava um apavorante segredo, até o dia em que um violeiro caipira e magrelinho decide cruzar seus portões. Para desvendar o mistério e conquistar o coração da formosa princesa Jezebel, Magrilim se vê envolvido em uma perigosa disputa. E ai dele se for derrotado, pois um final terrível reserva-se aos perdedores…


Yabás, moças faceiras!
Clara Santhana
Sábado, 11 de janeiro às 18h

Clara Santhana apresenta três personagens da mitologia Iorubá – Oxum, Iansã e Iamanjá. Na primeira história Oxum, princesa africana, consegue ser a primeira mulher a tomar decisões importantes sobre a Terra. O mito de Iansã, a Mulher-Búfalo, revela seu poder sobre os ventos e as tempestades. E no conto Iemanjá, vamos conhecer a trajetória desse orixá até se tornar a Rainha do Mar e ficar conhecida como mãe de muitos filhos. O espetáculo tem como fio condutor o universo feminino e é pontuado por cantos de Oxum, Iemanjá e Iansã, tanto em Iorubá quanto em português.


Onde você se esconde?
Histórias que conversam com a obra de Yayoi Kusama
Equipe do CCBB Educativo Rio
Domingo, 12 de janeiro às 11h

Será que é possível apresentar conceitos de arte contemporânea através de contos populares? É justamente essa a tarefa da equipe de contadores de histórias do CCBB Educativo. Os contos de fadas e os contos orais brasileiros apresentados nesse repertório trazem assuntos presentes na obra da artista japonesa Yayoi Kusama, como os conceitos de obliteração e rede. No conto “Sopa de Botão de Ossos” um personagem vai se ligando ao outro através dos ingredientes de uma sopa que vai alegrar o gelado inverno de um pequeno vilarejo, formando uma rede. Na história “A princesa que tudo via” o desafio do personagem principal é conseguir se esconder tentando se camuflar no cenário.


A História da Cidade Melão e outros contos sufis
Cia do Solo
Domingo, 12 de janeiro às 12h

Dois atrapalhados atores-narradores compartilham com o público contos da tradição Sufi. Um Rei majestoso tem sua coroa derrubada por um arco triunfal. Haveria um responsável? Já em uma aldeia, um espertalhão tenta enganar a todos e levar a melhor. Em outro conto, conheceremos a solidariedade de dois irmãos que trabalham juntos na lavoura e dividem a colheita. Veremos o mundo com outros olhos e argumentos com as histórias sufi, principalmente a que conta como um sábio é malvisto pela sociedade por enxergar a vida de outro modo.


Brincando como antigamente – Se essa rua fosse minha…
O Baú que Conta e Canta
Domingo, 12 de janeiro às 13h

Nesse espetáculo interativo, histórias e poesias que envolvem a criança e o seu universo são retratadas através de brincadeiras, da forma como eram realizados nas ruas, palcos abertos onde as atividades lúdicas eram desenvolvidas de forma natural. Nessa contação trazemos histórias geradas a partir de músicas do folclore, por exemplo, Pai Francisco, Atirei o Pau no Gato e Samba Lelê. Toda essa atividade é conduzida de maneira lúdica por uma profissional da área de educação, trabalhando-se a imaginação, criatividade e psicomotricidade da plateia.


Histórias de antanho
Augusto Pessôa
Domingo, 12 de janeiro às 14h

São histórias para qualquer idade que ajudam a pensar nossas relações. Nas narrativas populares, de uma forma irônica, os mais variados sentimentos aparecem: medo, inveja, valentia, esperteza, e muitos outros. Contos assim trazem uma reflexão sobre a convivência e a relação entre nós. Repertório: A Rã e o Boi, O Macaco e o Ovo do Galo, João sem Medo e O Velho, o Menino e o Burro.


O Sonho da princesa
Equipe CCBB Educativo de Belo Horizonte
Domingo, 12 de janeiro às 15h

Uma princesa fecha os olhos e os seus sonhos ocupam o quarto e assombram o rei. Um pobre camponês pede conselhos a um rabino, porque a sua casa é tão pequena e lá dentro mora tanta gente… E a mulher de um pescador cada vez quer uma casa maior. Será que o tamanho da casa é o mesmo tamanho da felicidade de quem lá vive? Histórias que discutem o espaço no nosso entorno, mágico e real são narradas em Belo Horizonte para receber o público, em um imenso prédio, na nova sede do CCBB inaugurada em Minas Gerais. Lindas canções e bonecos pontuam a apresentação.


Contos maravilhosos
Tapetes Contadores
Domingo, 12 de janeiro às 16h

O príncipe serpente, Maschenka e o Urso e João sortudo são as três histórias que compõem esta sessão de encantamentos e sortes. Com belos tapetes artesanais feitos pelo grupo Os tapetes contadores de histórias e seus parceiros artísticos, os contadores de histórias narram as aventuras encantatórias de uma jovem que precisa desencantar um príncipe serpente, de um João que se sente o homem mais sortudo do mundo e faz suas trocas enquanto caminha pelo mundo, e os segredos de uma floresta onde uma menina se torna prisioneira de um urso. Todos esses contos são de origem européia.


Histórias de reinos distantes
Domingo, 12 de janeiro às 17h

Três histórias curiosas sobre princesas e reis. São contos tradicionais: dois brasileiros e um oriental que trazem a sabedoria antiga para os tempos modernos. A contadora Ilana Pogrebinschi, ao violão, é acompanhada por Luzia de Mendonça ao acordeom e percussões. As canções são da tradição brasileira, judaica e renascentista e duas compostas especialmente para o espetáculo.

Contos como a gente conta
Confabulando – Contadores de Histórias (3 pessoas)
Domingo, 12 de janeiro às 18h


O título da sessão, Contos como a gente conta, é uma referência ao primeiro livro publicado pelo Confabulando – Contadores de Histórias, num momento em que comemoramos 20 anos de trabalho.

A sessão do Confabulando, no dia 12 de janeiro de 2014, inclui narrativas como A onça e o bode, de Maria Ignes Corrêa, Quibungo e O saci de Maria Clara Cavalcanti, O segredo do rei de Carmen Berenger e Tampinha de Angela Lago. Entre as histórias selecionadas não faltam elementos misteriosos, lúdicos e bem humorados, como animais falantes, segredos reais e canções encantadas que salvam as personagens de diferentes tipos de monstros e aflições.



:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

11 e 12 de janeiro de 2014 | Das 11h às 18h
Centro Cultural Banco do Brasil
Rua Primeiro de Março, 66 – Centro, Rio de Janeiro.
Informações CCBB Educativo – 1º andar
(21) 3808 2070 / 3808 2254
Entrada Franca
Distribuição de senhas: 30min antes das atividades.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Get Adobe Flash player